sábado, 8 de outubro de 2011

Dei pela primeira vez na pracinha


MINHA PRIMEIRA VEZ FOI INESQUECÍVEL
Ola meu nome é Leandra mais conhecida como Andra, tenho 23 anos, cabelos longos e caracolados, uma corpo escultural, pois faço exercícios físicos, pernas bem torneadas, bumbum bem arrebitado e seis medianos bem erguidinhos.
A história que vou relatar aqui é verídica por isso uso nome falso a todos envolvidos. Há 6 anos atrás eu morava no sitio com meus pais e estudava em escola rurail, ao terminar o ensino médio vim para cidade, e eu sempre fui doida por sexo, porém uma pessoa bem difícil de lidar com homens, pois quando eu tinha 5 anos eu vi meu pai espancando minha mãe aquilo até hoje não me sai da cabeça, fiquei revoltada com homem, pois não admitia este tipo de coisa, então fui crescendo uma menina rebelde, pois eu convivia no meio das molecada jogando bola brincando e etc. eu tinha em mente de que se eu fosse uma pessoa durona e ficasse sempre no meio dos homens eles iriam me respeitar, e de fato respeitava, mas quando cheguei na minha adolescência fui pegando forma, fiquei uma moça muito bonita diga-se de passagem, e meus amigos sempre me elogiando, eu detestava aquilo, volte e meia meus pais iam na escola , porque a diretora sempre chamava, devido eu bater nos meninos, sempre o motivo era o mesmo, o menino que me chamou de gostosa, ou passou a mão na minha bunda, aquilo me deixava furiosa, sabe estas coisas de adolescentes, pois é ao mesmo tempo que eu gostava eu não queria, pra mim eles queriam me machucar.
Meu primeiro beijo foi aos 15 anos com um rapaz 3 anos mais velho que eu, a gente se conheceu numa briga, e naquilo a gente foi se gostando um do outro, mas eu não admitia gostar dele, e ele começou a se insinuar pra mim, não importando com o meu desprezo, até que um dia minhas amigas me convidaram pra ir numa festa e ao chegar lá eles se encontrava. Ele vivia mandando recado pra mim, e eu sempre dizia não, foi então que minhas amigas me armaram uma cilada, na festa tinha um campo de futebol que estava escuro, então como elas sabiam que eu gostava de futebol me chamaram pra dar uma olhada no campo pra mais tarde marcar horário etc. chegando lá, depois de alguns minutos ele veio atras, quando eu o vi percebi logo a situação, então disse a minhas amigas que iria voltar.
No fundo eu queria muito ficar com ele, meu corpo sentia uma excitação enorme quando ele vinha em minha direção, mas eu me controlava legal, ele é um moreno claro cor de jambo, alto e forte, dos olhos claros esverdeados daqueles de deixar qualquer mulher louca seu nome é Danilo, sempre sentia minha calcinha molhar os fundos, e minhas amigas sempre caçoavam de mim dizendo que eu era BV- boca virgem, e que eu não tinha beijado ninguém, elas diziam que os rapazes bonitos da escola tinham uma quedinha por mim e eu nem dava moral. Aquelas coisas de adolescentes, mas continuando... Então elas me disseram “não! conversa com ele” mas, eu não queria e num impulso eu sai correndo e como ele estava atrás de mim ele me agarrou pelo o braço e disse “eu não mordo não menina, só quero conversar com você” eu baixei meus olhos e fiquei olhando para o chão e minhas amigas foram embora nos deixando a sós, mais eu relutava em me entregar a ele, e tentei sair dele numa puxada em alguns tentativas, sem dizer uma palavra, foi então que ele me segurou bem forte em seus braços e me aperto contra seu peito másculo. Nossa como eu fiquei excitada, eu tinha vontade de pedir que ele me possuísse ali naquele gramado, mas meu orgulho e raiva eram maior que isso, então continuei olhando baixo contra seu peito e ele encostou sua boca em meu ouvido e disse: “eu a desejei desde o primeiro instante em que a vi” aquilo amoleceu minhas pernas, mas ele me segurava forte e continuou, “gosto do seu modo de se vestir sem se importar com que os outros vão pensar de você, adoro,ver você jogar bola, fico o jogo inteiro olhando pra suas pernas e bunda, esta sua boca carnuda me enlouquece...” e eu estava pra me explodir de tesão, foi ai que beijei pela primeira vez, um beijo inesquecível, ele pego em meus cabelos e eu fechei meus olhos e ele me beijo docemente e de leve, tocando apenas meus lábios, eu me amoleci toda, e ele percebeu, eu queria beijá-lo, sentir sua língua enroscando na minha, mas não tinha forças pata tal coisa, e assim ele me soltou e disse: “vou embora, já que você não me quer” e eu fiquei atônica sem nenhuma reação vendo ele se distanciar de mim, eu queria chamá-lo de volta, mas não consegui balbuciar uma palavra se quer.
Do jeito que o tesão tomava conta de mim eu me sentei no chão escorada na cerca do campo de futebol e comecei a chorar de tesão, eu senti que eu tinha gozado apenas com aqueles momentos ingênuos.
Depois de alguns minutos vendo que eu não voltava, minhas amigas foram atrás de mim e perguntaram se eu chorei, eu disse que não, que eu estava apenas com raiva dele pelas coisas que ele me disse, elas me perguntaram o que ele me disse e eu não disse nada.
Passado este dia, eu fiquei muito perturbada com tudo aquilo que me acontecerá, no outro dia no colégio quando entrei na escola lá estava ele conversando com minhas amigas, e o vi e não me aproximei, e fui direto pra sala, porém só de olhar pra ele eu ficava excitadíssima, mas como sempre tento disfarçar, estudamos e deu a hora do intervalo ele estava lá com aquele sorriso enorme e lindo no rosto sentado no mesmo lugar, eu fui e me sentei em outro lugar, e vendo que eu estava sozinha ele foi onde eu estava e falou bem no meu ouvido: “você está linda como sempre, não fuja de mim não vê que eu preciso de sentir você?”eu como sempre não disse nada, porque no fundo eu queria mesmo ficar com ele, mas eu estava esperando que ele corresse muito mais atrás de mim, pois queria ver ele sofrendo, homem pra mim tem que sofrer pra conquistar uma mulher, e pelo visto eu estava conseguindo. Nisso minhas amigas chegaram e eu me afastei dele, ficamos todos por ali conversando sobre assuntos banais.
Na saída da escola ele me seguiu e chegou perto de mim e ficou falando que eu era linda e gostosa que ele queria muito ficar comigo nem que fosse apenas pra me beijar e abraçar, e quando estava perto de casa ele me encosto no pé de manga perto da entrada de casa e me apertou de tal forma que pude sentir o volume de seu pau, era grande e me excitava muito.
Assim o ano foi passando e festinhas acontecendo e a gente nunca ficava, estávamos no mesmo lenga lenga, até que no 4º bimestre de aula ele chegou em mim e disse “Andra, eu desisto de você, este ano não fiquei com nenhuma menina por cousa de você, e você não quis nada comigo, não fala que me quer e nem fala que não em quer, não lhe procuro mais” eu me fazendo de durona disse: “eu não mandei você vir atrás de mim, veio porque quis, e eu não ti quero” virei as costas e fui embora com o coração partido, minha vontade era de agarrá-lo e fazer amor com ele ali mesmo no meio de todos, mas não fiz nada disso.
Depois disso ele não me procurou mais, aquilo me deixou muito mal, a gente sempre se olhava na escola e ele conversava com minhas amigas e não falava mais nada comigo, quando findou o ano nossa sala como era acostumada a fazer festinhas preparamos uma, e quando foi no dia da festa todos estavam lá, eu fui com uma roupa bem sensual, pois nunca tivera vestido uma roupa assim, mas como minhas amigas insistiram para que eu me vestisse diferente eu fiz, peguei um vestido vermelho bem curto e colado o que mostrava bem as minhas curvas e minha bunda arrebitada.
Todos na festa me olhavam e se perguntavam como me vesti assim, logo eu que sempre fui discreta, e só queria saber de futebol e estudar, mas tudo tem uma primeira vez. A festa tava bombando e eu andava de um lado para o outro procurando por ele, as horas iam passando e nada. Fiquei numa aflição, prometendo mil coisas caso ele aparecesse, como já era bem tarde ele num aparecia eu resolvi sossega e fui dançar e curtir a festa, e ele nada. quando foi bem mais tarde, q eu já tinha perdido as esperanças vi ele chegando, nossa meu sexo molhou na hora, minha vontade era de voar encima dele, mas me contive, e assim a festa ia rolando, e ele nada de me procurar eu fiquei com o coração na mão, então decidi ir embora muito triste pois ele ainda não tinha me procurado.
Quando sai no portão da festa ele estava do lado de fora me esperando, e veio em minha direção falando: “preciso conversar com você, sei q vc me odeia, mas vc podia ao menos me ouvir”, eu continuei andando e não respondi nada, e ele me acompanhava dizendo: “porque você faz isso comigo? Você não percebe que sou louco por você?, por favor diga – me alguma coisa?” eu andando de cabeça baixa continuei estávamos quase chegando na praça, quando ele se pos em minha frente e me parou e ergue meu rosto e viu que eu estava chorando, ele me abraçou falando: “porque você complica as coisas, eu amo você, te desejo desde aquela vez que ficamos juntos, mesmo que por alguns instantes” então ele me beijou, e eu correspondi meio tímida, e ele falou pra eu não ter medo de nada, pois ele não ia me machucar, e disse que sabia que eu era virgem e que nunca tinha beijado, pois minhas amigas havia lhe dito sobre os meus medos e raiva que eu tinha de homem, enfim meus traumas de infância, em seguida fomos para a praça onde não tinha ninguém, nos sentamos em um banco daquele e começamos a nos beijar, ele sabia como me deixar louca, eu não conseguia me soltar, mas ele com sua paciência aos poucos foi me relaxando, para que eu pudesse me entregar a ele sem receio, ele mordiscava minha orelha, chupava, ia descendo pelo meu pescoço me deixando muito excitada, comecei a soltar gemidos baixinhos, com vergonha dele perceber como eu estava cedendo aos seus encantos, eu respirava fundo e gemia, ele lentamente desceu sua mão em meus seios, eu delirei quando ele toucou eles pela primeira vez, pra muitas pessoas pode não ser nada mais para mim foi um sonho me entregar a ele suavemente sem pressa de acabar.
Ele desceu sua mão até minhas pernas por entre as coxas e foi passando me fazendo gozar pela primeira vez naquela noite, sem ao menos ter me penetrado ele me fez gozar, assim continuou a me tocar, xegando com suas mãos aos meus pés aquilo me arrepiava toda, em seguida ele devagar passou sua mão em minha xaninha por cima da calcinha, e viu como eu estava super molhadinha, e disse ao meu ouvido: “agora estou domando minha menina” aquilo me deixou muito brava e excitada ao mesmo tempo eu quis afastá-lo mas eu não conseguia, então disse a ele: “quero ser sua, me doma” ele respondeu “já esta domada, e ainda vai pedir pra que eu faça amor com você agora mesmo”, e ele me beijou na boca e desceu sua mão até minha xaninha e ficou alisando-a, depois tirou minha calcinha e colocou em seu bolso da calça e me pediu pra abrir minhas pernas, o que eu obedeci sem reclamar, pois eu queria muito que ele me penetrasse, mas não foi isso que ele fez, ele abaixou as alças de meu vestido e levou sua língua lambendo meus seios e depois xupando suas aureolas marronzinhas, eu gemia muito, não conseguia me controlar, minha xana estava muito molhada, ele passou sua mão nela enquanto sugava meus seios estumecidos, e eu urrava de desejo, estava como uma mulher vulgar em sua mão, ele voltou a me beijar na boca, com aquele beijo macio e molhado, uma boca pequena mas bem feita, ele me devorava.
Me virou de costas e beijou meu pescoço, e foi tirando todo o meu vestido, no meio a praça vazia, eu disse a ele que alguém poderia nos pegar e ele disse que devido a festa não ia aparecer ninguém, e continuo me lambendo, beijando nas costas me deitou de bruços naquele banco e percorreu sua língua em minhas costas até chegar em meu rego e indo para minha bunda, aquilo me deixou enloquecida, ele ainda todo vestido, me dominava, depois ele me virou de frente e pegou minha mão e levou em seu pau, eu fiquei com um pouco de vergonha e relutei em pegar mas depois aos poucos comecei a sentir seu cassete em minha mão, ele deszipou sua calça e tirou aquele mastro pra fora e me pediu que eu olhasse para aquilo que seria todinho meu, eu olhei meio tímida e ele levou seu pau até minha boca e disse: “chupa meu pau minha menina, ele é todinho seu, hoje quero ter você por inteira e sem pressa, agora coloca sua boca nele e suga como se tivesse mamando” eu fiz o que ele pediu e meti minha boca naquele cassete enorme, xupei como pude e ele me levantou bruscamente e em apertou contra seu corpo coberto pelas suas roupas, nos beijamos e nisso fui desabotoando sua camisa sem tira-la e comecei a beijar seu peito e lamber como uma louca e enquanto isso ele alisiva meu bumbum.
Depois disso ele me pegou no colo abriu minha pernas para seu lado e com seu mastro encostou em minha xaninha, me levando a loucura, e ali ficou roçando e me beijando, eu comecei a chorar de prazer e respirar ofegante como se tivesse faltando algo me mim, e ele dizia: “chora minha menina, que agora você vai ser minha pra sempre” e de repente ele forçou a entrada de seu pênis em minha xana enfiou apenas a cabecinha, depois eu comecei a rebolar em seu pau para que o resto entrasse, mas ele retirou seu pau, e eu comecei a gemer alto e entre gemidos eu dizia: “aiiiiiiii, por favor, me faz tua mulher, eu quero ser sua e nunca mais vou ti ignorar, não me deixe assim” ele ouvindo o que disse retornou seu pau em minha xana e forçou sua entrada, aquilo queimava minhas entranhas, ele tentou me penetrar mas não entrava e eu comecei a chorar de dor e prazer e ele me beijava e voltava e a me penetrar, e não conseguia e eu comecei a falar: “pode meter tudo em mim que eu agüento, mas não me deixe sem sentir você, preenche esse vazio que esta entre minhas pernas” ele obedeceu enfiou novamnete forçando a entrada, as lagrimas escorriam de meu olhos, mas aquela dor e prazer que eu senti foi enorme, me senti sair do meu corpo, como se fosse desmair, ele me beijava, e eu sentia cada centímetro de seu pau rasgando a minha xana, ele enfiou tudo e esperou um pouco para que eu pudesse relaxar e começou num movimento de vai e vem bem devagar, e ao mesmo tempo ele me beijava e segurava meus cabelos fortemente, aquilo pra mim era um sonho, eu nua num banco da praça e ele apenas de camisa aberta e as calças aberta na frente arriadas até o joelho, eu não me importei com mais nada, o que eu mais queria era que ele ficasse atrelado em mim.
Eu gozei múltiplas vezes insanamente, gozei no seu pau gostoso e ele vendo aquilo todo melado tirou seu pau pra fora e pos se a xupar e lamber minha xoxota, eu me contorcia de prazer e gozei em sua boca, depois ele meteu seu pau em mim novamente e bombou bem rápido e disse: “vou gozar minha menina ahhhhhhhhh, você agora é minha mulher, eu ti fiz minha mulher ahhhahhaahhh” e eu senti aquilo tudo inundando meu ser e gemendo como louca eu gozei mais uma vez gostoso.
Depois de tudo terminado ficamos coladinho um ao outro ele fazendo carinho em mim e jogou sua camisa para cobrir-me, e a sua porra escorria entre minhas pernas eu passei a mão em minha xana e pude notar que tinha um pouco de sangue pelo meio, ele notou que eu vi e começou e me explicar, depois de uma meia hora eu me limpei e me vesti.
A gente nunca mais ficou, esta foi a primeira e última vez, inesquecivél, pois eu me mudei da área rural, para a cidade, e então nunca mais tivemos contato e hoje sou uma mulher formada e estudada. Mas continuo aprontando por aí, pois afinal ninguém é de ferro.

conto retirado do site    http://www.casadoscontos.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário